Sinalizações de Segurança Contra Incêndio



1. Objetivo

A sinalização de segurança contra incêndio e pânico tem como objetivo reduzir o risco de ocorrência de incêndio, alertando para os riscos existentes e garantindo que sejam adotadas medidas adequadas à situações de risco, que orientem as ações de combate e facilitem a localização dos equipamentos e das rotas de saída para abandono seguro da edificação em caso de incêndio.

A sinalização de segurança contra incêndio e pânico é prescrita na NBR 13.434/2004, Parte 1 e Parte 2 e NBR 3434/2005, Parte 3 da ABNT.


2. Classificação das Sinalizações

Pide-se em sinalização básica e complementar. A) Sinalização Básica A sinalização básica é constituída de quatro categorias, de acordo com a função:a) Sinalização de Proibição: Cuja função é proibir ou coibir ações capazes de conduzir ao inicio de um incêndio ou o seu agravamento; b) Sinalização de Alerta: Cuja função é alertar para áreas e materiais com potencial de risco; c) Sinalização de Orientação e Salvamento: Cuja função é orientar rotas de saída e ações necessárias para o seu acesso; d) Sinalização de Equipamentos de Combate e Alarme: Cuja função é indicar a localização e os tipos de equipamentos de combate a incêndio disponíveis.

B) Sinalização Complementar A sinalização complementar é composta de faixas de cor ou mensagens, devendo ser empregadas nas seguintes situações: a) Indicação continuada de rotas de saída; b) Indicação de obstáculos e riscos de utilização de rotas de saída, como pilares e arestas de paredes, vigas e etc; c) Mensagem escrita e específica que acompanha a sinalização básica, onde for necessária a complementação dada pelo símbolo.

3. Implantação das sinalizações

a) Devem ser instaladas em locais visíveis; b) Devem ser instaladas a uma altura mínima de 1,80m; c) Devem ser distribuídas de forma a manter uma distancia máxima de 15m entre si; d) Devem ser instaladas de forma que a distancia máxima a percorrer até uma sinalização de saída não seja superior a 7,5m; e) Quando no ambiente houver obstáculos que dificultem ou impeçam a visualização direta da sinalização, está deverá ser repetida a uma altura suficiente para a sua visualização. f) Quando um equipamento de combate a incêndio ou alarme for instalado em pilares, todas as faces visíveis deste devem ser sinalizadas. g) A sinalização de indicação de rota de saída continuada deve ser instalada, guardando o espaçamento máximo de 3m entre si e quando instaladas em paredes estas deve possuir altura entre 0,25 e 0,50 m do piso acabado. h) Caso necessite utilizar outro idioma este não deve substituir o idioma original, mas ser incluído adicionalmente. i) As sinalizações de portas de saídas de emergência devem ser instaladas imediatamente acima da porta, no máximo a 10 cm da verga da porta, ou na impossibilidade desta diretamente na folha da porta, centralizada a uma altura de 1,80m.

4. Requisitos para sinalizações

As sinalizações devem atender aos requisitos previstos na NBR 13.434/2005, Parte 3, para serem aceitas, conforme a legislação em vigor. São requisitos a serem comprovados: a) Propagação da chama; b) Resistência a agentes químicos e a lavagem; c) Resistência água; d) Resistência a detergentes; e) Resistência a sabão; f) Resistência a óleo comestível e gordura; g) Resistência a nevoa salina; h) Resistência ao intemperismo; i) Efeito fotoluminescente. As placas de sinalização devem possuir em sua face visível o nome, logotipo ou CNPJ do fabricante, adicionalmente, os elementos de sinalização com características fotoluminescentes devem apresentar os seguintes dados: a) Intensidade luminosa em milicandelas por metro quadrado, a 10 min e 60 min após a remoção de excitação da luz 22ºC +/- 3ºC (mínimo aceitável 140/20); b) Tempo de atenuação, em minutos, a 22ºC +/- 3ºC (mínimo aceitável 1800); c) Cor durante excitação (K = cor verde); d) Cor da Fotoluminescência (W = branca). Para as sinalizações complementares de indicação continuada de rota de saída (próxima ao solo), devem apresentar os seguintes parâmetros técnicos mínimos (20/2,8 – 340 – K – W).


5. Representação em planta

As sinalizações devem ser representadas em plantas baixas de planos e projetos, conforme especificado no item 6.1.1 da NBR 13.434/2004, Parte 1, ou seja, através de uma circunferência pidida horizontalmente ao meio, sendo que na parte superior deve constar o código do símbolo, conforme item 5 da NBR 13.434/2004, Parte 2, e na parte inferior deve constar suas dimensões em milímetros, conforme Tabela 1 da mesma norma. Símbolos para identificação de placas de sinalização em planta baixa. Dimensões pré-definidas para placas de sinalização (Tabela 1) e letras de placas (Tabela 2), conforme NBR 13.434/2004, Parte 2: Tabela 1 – Dimensões pré-definidas para placas de sinalizações Tabela 2 Altura mínima das letras em placas de sinalização em função da distância de leitura Para o cálculo das dimensões das placas e o tamanho da letra das sinalizações, deve-se observar a relação abaixo: A) Dimensões de placas:A > ____L²_____                  A, é a área da placa em metros quadrados.     2000                               L, é à distância do observador à placa, em metros.Esta relação é valida para distancias mínimas de 4m e máximas de 50m B) Dimensões de letras:h > ___L___                                 h, é a altura da letra em metros.125                                    L, é à distância do observador à placa, em metros.


6. Dicas para uma compra correta

a) Certifique-se que a placa que você esta adquirindo atende todos os requisitos exigidos na NBR 13.434/2005, Parte 3. Para isso exija os laudos realizados em laboratórios credenciados ou consulte o Corpo de Bombeiros local. b) Não compre gato por lebre, preços muito baixos ou promoções a preços muito abaixo do mercado podem representar placas que não atendam os requisitos da NBR 13.434/2005, Parte 3. c) O valor da placa está relacionado às dimensões da mesma, portanto um bom projeto antes de adquirir as placas poderá trazer-lhe grande economia. 7. Informações Complementares Para melhor assimilação do conteúdo apresentado, sugerimos a leitura da Instrução Técnica nº 20/2011, do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, disponível para Download no Link Abaixo.


INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 20/2011 - Sinalização De Emergência

OBJETIVO Fixar as condições exigíveis que devem satisfazer o sistema de sinalização de emergência em edificações e áreas de risco, conforme o Decreto Estadual nº56.819/11 – Regulamento de segurança contra incêndio das edificações e áreas de risco do Estado de São Paulo.

APLICAÇÃO Esta Instrução Técnica (IT) aplica-se a todas as edificações e áreas de risco, exceto residências unifamiliares.

Fonte: CipaFatec

29 visualizações
logotipo dks
LOGO HD PORTAS CORTA - FOGO

barras antipânico, portas corta fogo, dks, dks barras, dks portas corta fogo, porta corta fogo, portas corta fogo, segurança industrial, segurança contra incêndios, prevenção contra Incêndios

Atenção a DKS não envia boletos através de e-mail com bônus ou descontos caso tenha recebido um e-mail com este teor entre em contato conosco!

Entre em Contato

barras antipânico, portas corta fogo, dks, dks barras, dks portas corta fogo, porta corta fogo, portas corta fogo, segurança industrial, segurança contra incêndios, prevenção contra Incêndios

Atendimento

+55 (11) 2489-4040

+55 (11) 2480-2116

+55 (11) 94035-9940

+55 (11) 9.9361-3596 

 

LOGO WHATSAPP
LOGO WHATSAPP
  • Facebook - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Av. Amâncio Gaioli, 235 - Água Chata

Guarulhos - SP
São Paulo, SP 07251-250

barras antipânico, portas corta fogo, dks, dks barras, dks portas corta fogo, porta corta fogo, portas corta fogo, segurança industrial, segurança contra incêndios, prevenção contra Incêndios

® 2007- 2020 Todos Direitos Reservados a DKS Barras Indústria e Comércio de Arterfatos Ltda.