5 coisas que um técnico em segurança do trabalho não pode ignorar



Todos os anos, milhares de trabalhadores morrem ou ficam gravemente feridos em razão de acidentes de trabalho ou de doenças profissionais. No entanto, a maior parte desses acidentes poderia ser evitada com a adoção de medidas de segurança do trabalho.


É por isso que a função desempenhado pelo técnico em segurança do trabalho é tão importante, pois ela age no sentido de analisar os riscos para, então, poder adotar as medidas de segurança necessárias.


Mas há questões que o técnico não pode ignorar. Continue lendo e veja quais são.


1. Riscos existentes no ambiente de trabalho


Uma das principais atribuições do técnico em segurança do trabalho é o laudo dos riscos presentes no ambiente de trabalho, que podem ser físicos, químicos, biológicos, acidentais e ergonômicos.


Os riscos físicos são formas de energia às quais o trabalhador está exposto, como ruídos e altas temperaturas. Já os químicos são os compostos ou substâncias que, uma vez em contato com o organismo, podem ser nocivos. Os biológicos são os mais diversos micro-organismos aptos a infectar o indivíduo.


Os riscos acidentais são todos aqueles que podem provocar um acidente, como máquinas sem proteção ou mal instaladas. E os riscos ergonômicos são oferecidos por situações de estresse físico, postura inadequada, entre outras que podem culminar em doenças profissionais.


Todos esses riscos causam danos à saúde do trabalhador. Por isso, o técnico não pode ignorar a análise dos riscos detectados naquele ambiente de trabalho e as formas de eliminá-los.


2. Atividades insalubres e perigosas


Outra atribuição do técnico em segurança do trabalho e de extrema importância é a verificação de atividades insalubres e perigosas no trabalho.


As atividades perigosas são caracterizadas pela exposição permanente a energia elétrica, inflamáveis, explosivos e, ainda, a roubo ou violência física, nos termos da CLT.


Já as atividades insalubres são as que exponham os empregados a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância, como o calor, frio, poeiras minerais, agentes químicos e biológicos, de acordo com a NR-15 do MTE.


Uma vez verificadas as atividades insalubres e perigosas, o técnico deve oferecer meios de neutralizá-las, como o uso de EPI’s e EPC’s.


3. Equipamentos de proteção


O uso de equipamentos de proteção individual é obrigatório pela CLT e pelo Ministério do Trabalho e pode neutralizar o risco oferecido por agentes nocivos à saúde e que caracterizam a atividade insalubre.


De acordo com a NR-06 do MTE, o empregador está obrigado a fornecer os equipamentos de proteção individual (EPI), gratuitamente, em perfeito estado de conservação e funcionamento. O EPI, claro, será de acordo com o risco enfrentado pelo empregado.


Os equipamentos de proteção coletiva, por sua vez, podem ser extintores, placas de avisos, recursos didáticos e audiovisuais de alertas.


Assim, cabe ao técnico verificar quais os equipamentos de proteção necessários aos empregados e ao ambiente de trabalho para requisitar ao empregador, bem como verificar o seu uso por parte dos empregados.


4. Condições de higiene


Outra função importante e que, muitas vezes, passa despercebida, é a avaliação das condições de higiene do local de trabalho, bem como a adoção de medidas para promovê-la. Isso porque a higiene no local de trabalho está diretamente ligada à saúde dos empregados.


O técnico deve constatar a existência de um número de banheiros no ambiente de trabalho proporcional ao número de empregados, assim como a existência de um local com as condições necessárias para fazer as refeições, onde há mais de 30 empregados, além de promover e estimular cuidados básicos, como lavar as mãos.


5. Treinamento dos funcionários


E, por fim, mas de igual importância, é a necessidade de o técnico verificar se todos os funcionários estão devidamente treinados para o exercício de sua função, bem como para o manuseio das máquinas e equipamentos.


Além disso, cabe a ele promover constantes treinamentos a fim de divulgar as normas de segurança, os riscos a que estão expostos e os cuidados a serem observados para evitar acidentes.


O técnico em segurança do trabalho, portanto, exerce um papel fundamental ao verificar os riscos e as medidas de segurança no trabalho a serem observadas para evitar acidentes e doenças profissionais.




Fonte: Mastt

0 visualização
logotipo dks
LOGO HD PORTAS CORTA - FOGO

barras antipânico, portas corta fogo, dks, dks barras, dks portas corta fogo, porta corta fogo, portas corta fogo, segurança industrial, segurança contra incêndios, prevenção contra Incêndios

Atenção a DKS não envia boletos através de e-mail com bônus ou descontos caso tenha recebido um e-mail com este teor entre em contato conosco!

Entre em Contato

barras antipânico, portas corta fogo, dks, dks barras, dks portas corta fogo, porta corta fogo, portas corta fogo, segurança industrial, segurança contra incêndios, prevenção contra Incêndios

Atendimento

+55 (11) 2489-4040

+55 (11) 2480-2116

+55 (11) 94035-9940

+55 (11) 9.9361-3596 

 

LOGO WHATSAPP
LOGO WHATSAPP
  • Facebook - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Av. Amâncio Gaioli, 235 - Água Chata

Guarulhos - SP
São Paulo, SP 07251-250

barras antipânico, portas corta fogo, dks, dks barras, dks portas corta fogo, porta corta fogo, portas corta fogo, segurança industrial, segurança contra incêndios, prevenção contra Incêndios

® 2007- 2020 Todos Direitos Reservados a DKS Barras Indústria e Comércio de Arterfatos Ltda.